segunda-feira, 13 de junho de 2011

COMO ENSINAR OS FILHOS A REZAR

Quem deve ensinar a criança a rezar: Familia ou catequista?
Fonte: Catequese Hoje
Uma senhora querendo que seu filho fizesse a 1º comunhão, levou-o à comunidade e colocou-o num grupo de catequese.Sentiu-se aliviada, até com a consciência mais leve. Pensou que estaria livre dessa responsabilidade e continuou com seus outros compromissos. Justificou todas as suas ausências nos encontros de pais, em que foram estudados assuntos que aperfeiçoariam seus conhecimentos e praticas cristãs.
Um dia, sem querer percebeu que seu filho nao estava aprendendo as coisas que ela esperava. Nao havia nem mesmo decorado o Pai Nosso. "A catequese de hoje; e bem relaxada", pensou ela e foi reclamar:
Falou diretamente com o padre: "Meu filho ja esta frequentando a catequese a três meses e ainda não conseguiu decorar o Pai Nosso. O que o Senhor acha disso?"
O Padre perguntou: "Quantos anos tem seu filho?" Respondeu a mãe: "Onze anos". O padre refletiu: "durante onze anos a senhora nao conseguiu ensinar o Pai Nosso para seu filho. E agora esta reclamando porque a catequista não o fez aprender em três meses?"
O Pai e a Mãe são as pessoas mais próximas dos filhos nos primeiros anos de vida. Ninguém melhor do que as pessoas da própria família para ensinar os elementos basicos da fé. As orações aprendidas no inicio da vida jamais serão esquecidas.
Contudo mais importante que ensinar orações prontas é ensinar o hábito da oração diária. O diálogo com Deus é uma atitude essencial na vida de toda a pessoa. Numa família que reza, naturalmente as crianças aprendem a rezar. Se a familia não tem o hábito da oração...não será fácil ao catequista, mais tarde, despertar no catequisando o desejo de conversar com Deus!
Quais os momentos de oração em familia? Quando e como participa unida da celebraçao da comunidade? Como participa nos movimentos ou grupos da comunidade? As respostas para tais questões sao importante para a famiília avaliar sua contribuição para a educação de seus filhos na fé.


Hoje, em muitas famílias, já não se reza. E não faltam desculpas: custa propor à família; a oração parece algo forçado, artificial, que não sai do coração; os filhos são muito pequenos ou muito crescidos...
No entanto, a oração em família é possível hoje.

O primeiro passo tem que ser dado pelo casal, aprendendo eles mesmos a orar juntos. Uma oração em casal, simples, normal, sem muitas complicações, faz bem ao casal crente e é a base para assegurar a oração com os filhos.
Criar o ambiente apropriado
A oração em família pede um certo clima. Algumas famílias chegam a reservar na casa um espaço ou "cantinho de oração" especialmente destinado para orar, como expressão de que se dedica a Deus um lugar na casa. É um espaço preparado com alguma Bíblia, uma vela, alguma planta, que se pode enfeitar de maneira apropriado em alguns tempos litúrgicos.
Também se pode cuidar mais do que entra no lar (certo tipo de revistas, vídeos, livros, cassetes, programas de TV). Não é difícil hoje assinar alguma revista cristã, comprar livros sãos e educativos para os filhos, Evangelhos e Bíblias para as crianças, cassetes com gravações para orar, gravação do Terço.

Pode-se também introduzir algum símbolo, imagem ou sinal religioso de bom gosto. Os lugares mais apropriados são, sem dúvida, a sala de estar onde a família se reúne para descansar, falar ou ver a televisão, e os quartos dos filhos onde, entre outros quadros e objectos variados, pode haver alguns religiosos, alguma lembrança da primeira comunhão ou da confirmação, os Evangelhos, uma imagem de Jesus, um ícone.
Saber ensinar
Antes de mais nada, é importante que a criança veja os seus pais rezando. Se vê o pai ou a mãe a rezar sem pressa, a ficar em silêncio, a fechar os olhos, a pôr-se de joelhos, a passar as contas do Terço, a pôr o Evangelho no centro da mesa depois de tê-lo lido com atenção, a criança, que capta criticamente a importância destes momentos, apercebe-se da presença de Deus no lar, descobre a oração como algo bom, aprende uma linguagem religiosa, palavras e sinais que ficam gravados na sua experiência, aprende atitudes e vai despertando em si a sensibilidade religiosa.

Nada pode substituir esta experiência. Mas, além disso, é necessário orar com os filhos. As crianças aprendem a orar rezando com os seus pais. Deve-se fazê-las participar na oração: que aprendam a fazer gestos, a repetir algumas fórmulas simples, algum canto, a estar em silêncio falando com Deus. A criança ora como vê orar. Chegará um momento em que ela mesma poderá abençoar a mesa, iniciar uma oração ou ler o Evangelho com a maior naturalidade. A oração fica gravada em sua experiência como algo bom, que pertence à vida da família, como a reunião, a conversa, o riso, a discussão ou a diversão.
http://diocesedecoimbra.pt/sdpfamiliar/rezarensinarosfilhos.htm

2 comentários: