terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

DINÂMICAS PARA A CF 2012

Para falar de saúde
Objetivo: Perceber a importância da sáude, campanha da fraternidade 2012
Apresentar duas rosas (ou outra flor) aos catequizandos, uma murcha, despetalando e outra bonita, cheia de vida, saudável.

- Estas duas flores, nos mostram a doença e a saúde. Para vocês o que é saúde? ( as respostas vão girar
em torno de: não ter doença, dor, estar forte etc).

- Completar o conceito de saúde que vai além da ausência de doenças:

- "Saúde é um processo harmonioso de bem estar físico, psíquico, social e espiritual, e não apenas a ausência de doença, processo que capacita o ser humano a cumprir a missão que Deus lhe destinou, de acordo com a etapa e a condição de vida em que se encontre.".

- "A vida saudável requer harmonia entre corpo e espírito, entre pessoa e ambiente, entre personalidade e responsabilidade".

- Se fôssemos escolher uma destas flores para oferecer a alguém, qual seria? A bonita, claro! Não oferecemos aquilo que julgamos que não agrada. Não nos doamos, se não gostamos de nós mesmos.

- Deus criou o homem e a mulher à sua imagem, deu-nos dignidade de filhos, de pessoa humana com capacidade de amar. É ponto de partida para amar, descobrir o próprio valor, viver a dignidade e proclamá-la a toda pessoa. Esta é a força capaz de estabelecer relacionamentos fraternos, solidários, que a CF nos propõe. Ela quer suscitar o espírito fraterno e comunitário das pessoas na atenção aos enfermos e mobilizar por melhorias no sistema público de saúde.

 Um olhar sobre a realidade
Objetivo: Perceber a importância da sáude, campanha da fraternidade 2012
Material: uma folha de cartolina, desenho do contorno de uma grande mão, pintado de marrom, que servirá para ser a raiz e o tronco da árvore / fita crepe ou cola / várias tesouras / folhas em branco para todos / lápis de cor verde e amarelo (para pintar folhas).
Distribuir, para cada um, uma folha de papel em branco e lápis de cor.

Pedir para desenhar o contorno de uma das mãos com os dedos ligeiramente abertos, pintar de verde e recortar.

Pedir que coloquem, num canto, o próprio nome e que, no meio da mão desenhada, escrevam: SAÚDE.
Após a confecção das mãos, o catequista apresentará ao grupo o desenho do contorno da grande mão
(como se fosse a raiz de uma árvore) e pergunta:

De quem pode ser essa mão? (deixar a pergunta no ar).

Quando estudamos os povos, desde as mais antigas civilizações, encontramos sempre o assunto saúde e doença, misturado com religião. Deuses, demônios, maus espíritos, magia... (TB, 09) aparecem com explicação para a dor, a morte, os sofrimentos de modo geral. Por exemplo, no caso dos indígenas brasileiros, quem era o "médico" da tribo? O pajé.

E nós? O que pensamos sobre a existência do mal, da doença? São castigo de Deus? Ele é o culpado? (deixar que falem, discutam, sem responder diretamente às indagações).

Então, nossas mãos não podem fazer nada? O que será que depende de nós?

Em que os povos da Bíblia acreditavam? Vamos descobrir, pesquisando na Bíblia.: Dt 28, 1-2; Dt 28,
15-20; 2Cr 16, 7; 2Cr 16, 12-13.
Após a leitura, concluir com rápidas palavras. O livro do Deuteronômio apresenta saúde como bênção e doença como maldição, devido ao pecado, ao afastamento de Deus. Nas Crônicas, todos eram dependentes do Senhor. Procurar ajuda de um médio em lugar de Deus, era derrota na guerra e morte certa. Como em Deuteronômio, a Bíblia aqui nos fala de castigo de Deus.

Vamos ler no livro de Eclesiástico, como instrui sobre saúde e doença – Eclo 38, 1-15 – Este texto realça a importância da saúde, de se ter os meios para que a saúde se difunda sobre a terra, que é o nosso lema nesta Campanha da Fraternidade. Mas logo a seguir, pede que se recorra ao Senhor e evite o pecado. Vimos a força, o peso do pecado em todas essas leituras. Mas será que Jesus mostrou o outro lado da moeda, o outro lado dessa mão? Como Ele viu a doença?

N cartolina com a mão marrom desenhada, formar uma árvore, tendo essa mão como raiz. (modelo abaixo)
Cada catequizando coloca a mão que desenhou e recortou, formando as folhas da árvore, conforme
uma sequência pré- determinada.

Deus nos criou por amor para sermos felizes. Tudo que Ele fez mostra quem Ele é. Mas nossos primeiros pais recusaram a amizade com o Pai Criador e, pela desobediência, o pecado entrou na vida das pessoas. Com o pecado veio a dor, a morte. Deus, em sua infinita bondade, enviou seu Filho Jesus para salvar a humanidade. Ao morrer na cruz, Ele funda a igreja para continuar a oferecer a salvação. A Igreja somos nós, todos os batizados. Formamos o Corpo de Cristo. Jesus não tem outras mãos, a não ser as nossas, para construir o mundo como Deus quer. E Deus não quer sofrimento. O que podemos levar aos outros com nossas mãos? Como podemos agir em prol da saúde?

Orientar os catequizandos para pensar num gesto concreto: visitar um doente, consolar um amigo que sofre, fazer doação de medicamentos, alimentos, fraldas, ouvir um idoso em suas aflições, rezar pelos que sofrem.

Ao som de uma música (da CF-2012 ou outra), colar na cartolina as mãos que confeccionaram, como se fossem folhas e galhos da árvore. Ao terminar todos juntos dão as mãos e pedem: "QUE A SAÚDE SE DIFUNDA SOBRE A TERRA!"

Modelo da árvore: podem ser escrito, na "raiz-tronco", os nomes dos santos que dedicaram suas vidas ao atendimento e ao conforto dos doentes: São Camilo, São João de Deus, Santa Paulina, Beata Ir. Dulce, São Galvão (cf. TB, 221)

Estas dinâmicas foram encontradas no site CATEQUISAR, e como eu achei elas bem propícias resolvi postar e aplicar nos encontros de catequese aqui na nossa comunidade. 

2 comentários:

  1. boas dinâmicas.

    bjo

    catequeseepartilha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Vim te convidar a participar do Amigo Secreto de Páscoa do Blog Catequese e Partilha.

    Um abraço.

    Ana Virgínia

    http://catequeseepartilha.blogspot.com/2012/02/amigo-secreto-de-pascoa.html

    ResponderExcluir